21 de ago de 2011

Ortopedia: Acurácia de três manobras clínicas no diagnóstico de lesões de manguito rotador




Lesões dos músculos do manguito rotador são responsáveis por aproximadamente metade das lesões graves envolvendo o ombro. Entretanto, seu diagnóstico pode ser difícil. Um número grande de manobras de exame físico, exames radiológicos e artroscopia são utilizadas no diagnóstico dessas lesões. Murrell e Walton estudaram a acurácia de manobras de exame físico no diagnóstico de pacientes com lesões em ombro graves o suficiente a ponto de indicar exame artroscópico.

Os autores estudaram de forma sistemática 400 pacientes referidos a cirurgiões ortopédicos na Austrália. O exame físico compreendeu 23 testes habituais, avaliando enfraquecimento, dor e perda de função nos músculos em questão. Incluiam-se entre os testes o sinal de "queda do braço", pinçamento, sinal de O'Brien, mobilidades passiva e ativa e testes de força muscular. Posteriormente, todos os pacientes foram submetidos à artroscopia. Os primeiros 100 pacientes com lesões parciais ou completas do manguito rotador, sem sinais de outras patologias de ombro, foram comparados aos primeiros 100 pacientes com alguma outra patologia de ombro que não lesão em manguito rotador.

A maior parte dos testes de exame físico não foi capaz de diferenciar os dois grupos de pacientes. No entanto, três sinais mostraram-se preditores de lesões em manguito rotador: fraqueza no músculo supra-espinhal, dificuldade na rotação externa e pinçamento nas rotações interna e externa do ombro. O sinal da queda do braço mostrou-se bastante específico (98%), mas com sensibilidade de apenas 10%. Pelo menos 15% dos pacientes com lesão em manguito rotador apresentavam uma outra patologia de ombro.

Os autores estimam que pacientes que apresentam dor importante em ombro, fraqueza no músculo supra-espinhal, pinçamento e fraqueza na rotação externa têm 98% de chance de terem uma lesão de manguito rotador na artroscopia (veja tabela). Em pacientes com mais de 60 anos, a presença de dois testes positivos associa-se a 98% de chance do diagnóstico. Uma probabilidade semelhante existe em pacientes com o sinal da queda do braço. A ausência de positividade nos três testes mencionados e a ausência do sinal da queda do braço está associada a uma chance de lesão inferior a 5%. Se apenas um dos três testes é positivo, está indicado o estudo através de métodos de imagem.

Fonte:
Murrell GA, Walton JR. Diagnosis of rotator cuff tears. Lancet March 10, 2001;357:769-70.

NOTA DO EDITOR: Esse estudo pode ajudar no diagnóstico mais rápido e objetivo de lesões de manguito rotador, usando um número menor de exames confirmatórios. Entretanto, os valores de significância aqui descritos podem não se aplicar em âmbito primário uma vez que os pacientes foram selecionados para o estudo baseados na gravidade dos sintomas. É importante estar alerta a presença de patologias adicionais durante a suspeição de lesões de manguito rotador. No atendimento primário, a taxa de patologias de ombro associadas pode não ser tão elevada como a relatada nesse estudo, mas a não realização do diagnóstico de uma patologia adicional pode ter sérias conseqüências para o paciente.

Editora responsável: Dra. Elisabete Almeida - drabetty@lincx.com.br